Conteúdos > Notícias

Governo e setor florestal discutem redução de desmatamento em MT

Publicado em 22 de Março de 2017
A criação de um programa estratégico para a redução do desmatamento e desenvolvimento sustentável para Mato Grosso em dez anos foi o tema do encontro que reuniu os líderes da SEMA, SEDEC, SEDRAF, CIPEM e ONGs no gabinete da líder da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA), Ana Luiza Peterlini.

O grupo iniciou as discussões para traçar o planejamento que determinará metas e resultados a serem apresentados pelo governador Pedro Taques aos investidores internacionais durante a 21ª Conferência Internacional do Clima (COP 21), na capital da França, em dezembro de 2015.
Para Peterlini, “quando se fala em 'redução de desmatamento', a primeira ideia é relacionar com meio ambiente, porém, as ações envolvem instituições e também mudança de hábitos da população”. Para ela, o monitoramento da fiscalização deverá ser implementado juntamente com políticas públicas que deem suporte às mudanças no campo. “Este é um tema transversal, que requer uma união de esforços de todos os envolvidos”, observou.

A adjunta de gestão ambiental, Elaine Corsini, explicou que o plano inicial elaborado pela equipe técnica da SEMA inclui aumentar a produção do Estado, mantendo os atuais 60% da vegetação nativa intactos. Além disso, visa estipular nova meta de redução do desmatamento até 2030, aliada a um plano de recomposição do déficit de reserva legal e de Área de Proteção Permanente (APP) em quilômetros quadrados e de recuperação ou substituição da agricultura em pastagens degradadas.

Ela destacou, ainda, que o plano deverá contemplar o aumento da renda bruta do agricultor familiar. Para o secretário estadual, Seneri Paludo (Desenvolvimento Econômico – Sedec), Mato Grosso deve apoiar os que integrarem o programa, que terá três eixos: econômico, social e ambiental. “Vamos inverter a lógica e estimular os bons exemplos. Com essa nova plataforma, pretende-se rodar o mundo captando investidores e englobando aqueles que realmente querem participar”.

Suelme Fernandes, líder da Secretaria Estadual de Agricultura Familiar e Regulação Fundiária (SEDRAF), enfatizou a importância da agricultura familiar no plano. “Mesmo que o Estado tenha destaque nacional como grande produtor em diversas áreas, também possui um grande desafio: promover inclusão social da população”, pontuou.