Conteúdos > Notícias

EFEITO CORONA

Publicado em 14 de Abril de 2020
 

Licenças do setor florestal são prorrogadas até 31 de dezembro
Governo de Mato Grosso acata sugestões do CIPEM e prazos são alterados devido às consequências econômicas da Covid-19.

Da Assessoria

Foi publicado ontem, 27, o Decreto 464, de 24 de abril de 2020, que determina a prorrogação dos prazos de validade das licenças de operação, outorgas e cadastros de consumidores de produtos florestais para 31 de dezembro. O Decreto do governo de Mato Grosso contempla todas as licenças vigentes a partir de 20 de março.

O pleito foi solicitado à Secretaria Estadual de Meio Ambiente de Mato Grosso (SEMA-MT) e à Casa Civil, pelo Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeiras do Estado de Mato Grosso (CIPEM) no início deste mês como uma das ações para o enfrentamento na contenção de um colapso econômico no setor de base florestal do Estado, devido aos efeitos econômicos negativos causados pela Covid-19. A conquista integra o Plano de Ação do CIPEM para o período de pandemia.

O presidente do CIPEM, Rafael Mason, defende que é preciso assegurar às indústrias condições mínimas para suportar a crise. “Há o risco eminente de múltiplas falências e demissões em massa em caso de inércia ou demora na tomada de decisões para evitar a ruína econômica que se apresenta", detalhou Mason. Ele ainda destacou que o Plano tem diversas ações em andamento para que o setor atravesse o momento crítico.

Ainda sobre o Plano de Ação, o CIPEM foca em medidas que amenizem os resultados que o segmento já vem enfrentando como relatos de empresas industriais em busca de informações relacionadas à prorrogação de títulos, informe de paralisação temporária, demissões e fechamento definitivo.

A economia da madeira é responsável pela terceira maior arrecadação do Estado e geração direta e indireta de quase 100 mil postos de trabalho. O presidente explica que a crise que afeta o setor, reflete diretamente em uma grande cadeia de produtos e serviços, além de milhares de empregos. Dentre os segmentos relacionados à madeira estão a construção civil, indústria moveleira, frigoríficos, indústrias consumidoras de biomassa para geração de energia, secagem de grãos, fabricação de etanol de milho (grande tendência em Mato Grosso), entre outras.
O trabalho continua e ainda falta uma importante conquista, viabilizar a prorrogação de ATUEX, a solicitação foi feita ao MMA pelo Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF) e permanece em análise.